A carreira é sua… Mas, e a empresa, como fica?

 

Se o autogerenciamento da carreira é responsabilidade do profissional, então, qual é o papel da empresa nessa estória?

Muito se discute sobre a importância do planejamento de carreira e a responsabilidade das pessoas na busca pelo autodesenvolvimento. Todavia, pouco tem se falado sobre o papel da empresa nessa relação.

Se por um lado o profissional deve ‘tomar as rédeas’ de sua carreira, traçando um plano e galgando os degraus necessários para atingir seus objetivos na vida profissional, por outro, as empresas devem se preocupar em se tornarem parceiras de seus colaboradores nesse processo, criando estruturas e práticas que permitam a negociação e conciliação de expectativas de ambas as partes.

Quando o profissional investe em seu planejamento e autodesenvolvimento, se não encontrar esse espaço na empresa em que trabalha, buscará em outra. Com isso, a retenção dos talentos acaba sendo afetada. E, num contexto de escassez de competências em que tanto empresas quanto profissionais buscam responder às exigências do mercado competitivo, organizações que oferecem a seus talentos oportunidades de desenvolverem suas carreiras e atingirem seus objetivos dentro do espaço organizacional levam vantagem em relação às que não o fazem.

Profissionais que atuam no autogerenciamento de suas carreiras são, cada vez mais, valorizados no mercado de trabalho. Por isso, ‘fique de olho’: planeje, realize e negocie com a empresa o espaço para o seu desenvolvimento. Se não funcionar, lembre-se que há um mundo de oportunidades lá fora.

Abraços.

Sueli Leitão

Master Coach

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *